MULHER É PRESA APÓS COLAR EM CONCURSO DA PC

Prepare-se para o concurso

Após ser flagrada colando em prova de concurso da Polícia Civil mulher é presa. A candidata foi pega com ponto e câmera enquanto realizava a prova.

Uma mulher foi presa após ser pega colando durante prova de concurso para Investigador da Polícia Civil de São Paulo. Enquanto ela fazia a prova, os fiscais perceberam uma movimentação estranha vindo dela e ao revistá-la acharam uma câmera escondida em seu casaco e um ponto eleetrônico.

Durante a realização da prova ela tinha movimentos suspeitos e não parava de mexer no casaco despertando a atenção dos fiscais. Ela ainda tentou disfarçar pedindo para ir ao banheiro mas teve o pedido negado  Ao usar o detector de metais na candidata a ferramenta tocou o alarme ao passar pelo corpo dela, e os fiscais acharam a câmera semelhante a uma webcam , o ponto eletrônico e o receptor de sinal no bolso da calça dela.

Nadine Novelo Conde Carlos, de 31 anos, foi presa na Barra Funda, Zona Oeste de SP, local da prova, e autuada por fraude e associação criminosa, sendo levada até à delegacia, onde confessou o crime.

A Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrência Diversas (Cerco) da 3ª Delegacia Seccional Oeste foi chará tentando interrogar a suspeita se ela havia sido paga por alguém para realizar a fraude ou se participava de algum esquema criminoso mas ela se manteve calada.

A Investigação, que será feita pelo 23° DP, de Perdizes, vai analisar se existem  mais pessoas envolvidas e se ela iria filmar a prova para algum tipo de esquema e passar para pessoas de fora usando o ponto eletrônico para isso. Os objetos que estavam com ela passarão por perícia. Eles também irão averiguar quem a deixou na universidade no dia da prova.

A candidata é filha de policial. O pai dela é um investigador do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) em São Paulo.  Após ser detida, ela deverá pagar fiança de R$ 6,6 mil e receber liberdade provisória após audiência de custódia na segunda-feira, dia 27 de Novembro, um dia após a prisão. A pena para fraude vai de 1 a 4 anos de prisão e para associação criminosa até 3 anos.

Para ter direito ao benefício Nadine terá que cumprir os requisitos:

  • Pagar a fiança de R$ 6,6 mil
  • Comparecer mensalmente em juízo para informar suas atividades
  • Manter seu endereço atualizado
  • Não sair da cidade de por mais de 8 dias sem prévia comunicação
  • Não se se inscrever em nenhum  concurso público enquanto durar o processo

Nadine se apresenta em suas redes sociais como advogada e assessora jurídica, mas o nome dela não consta no Cadastro Nacional de Advogados (CNA) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

As penas para fraude vão de um a quatro anos de prisão. Associação criminosa prevê punição de até três anos de reclusão.

 

Mais:

Concurso Investigador PC SP

 COMO FUNCIONA O CONCURSO PARA POLÍCIA CIVIL DE SP

Últimas do Blog

Categorias do Blog

Nossos Cursos

Vídeos Relacionados

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias:

Voltar página anterior
Fechar Menu

Assine nosso Telegram

Fique por dentro dos concursos da segurança pública

Receba nosso contato !

Eu aceitoAo preencher, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber comunicações do Curso Palestra Gratuita.

Receba nosso contato !

Eu aceitoAo preencher, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber comunicações do Curso Palestra Gratuita.