REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO DA PM

Prepare-se para o concurso

É muito comum muitos candidatos não entenderem o que levou a REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO da PM. Muitos se questionam se eles nunca vão conseguir seu apto. Se esse for seu caso fique tranquilo falaremos como fazer e o que acontece nesta fase da vida de vocês.

 

Primeiramente, ser considerado inapto na fase psicológica do concurso da PM, apenas significa que você não conseguiu alcançar todos os pontos avaliados pelos psicólogos, e, portanto, em uma outra oportunidade, e desenvolvendo as características apontadas na REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO, você pode conseguir o Apto.

 

 

Porém para perceber o que precisa ser melhorado em nosso perfil psicológico, é importante passa pelas fases da perda, pois quanto melhor compreendermos o que aconteceu no concurso anterior, buscaremos através de conselhos e pessoas, formas de adequar esse perfil para conseguir um ligar entre os aprovados no concurso.

 

Essas fases correspondem que toda perda deixa sequelas, e quanto preparados estivermos para enfrentar essas perdas, nos capacitamos melhor para o decorrer de nossas vidas.

 

A REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO DA PM não deixa de ser uma perda, pois para o candidato que se esforçou até chegar nesta fase e se ver inapto, podemos considerar que aquele candidato pode ter “morrido” para aquela fase, daquele concurso que ele estava. Portanto quanto melhor ele ressignificar essa reprova, mais fortalecido ele estará, para tentar novamente.

 

COMO SÃO AS FASES PARA SUPERAR A REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO

 

As fases da perda são divididas em 5 fases

 

  • Negação
  • Raiva
  • Negociação
  • Depressão
  • Aceitação

 

E muitas vezes não passamos por todas as fases, e também não tem uma ordem certa.

Na fase da negação, candidatos que obtiveram REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO tendem a acreditar que houve um erro na digitação, do edital e demoram a acreditar que isso está acontecendo com ele, pois foi tudo muito tranquilo na entrevista e na fase de testes coletivos, e essa negação da verdade faz esse passar para a próxima fase que é a da Raiva.

 

Nesta etapa, a fase da Raiva, muito procuram culpados para sua REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO,  e passam a culpar os psicólogos da PM, familiares, por não terem apoiados, no tempo curto para se preparar, nos companheiros(as) por falta de apoio, culpam todos, tentam achar culpados para seu insucesso

Só se esquecem que talvez o grande responsável desta reprova seja ele mesmo. Somos responsáveis pelos nossos sucessos e insucessos. Essa lei é universal, quanto antes entendemos que a REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO não existe culpados, conseguimos seguir a diante, e uma vez que essa fase não está compreendida passamos para a próxima fase que é a negociação.

 

Nesta fase, a da Negociação, muito repesam na fase da reprovação e arquitetam hipóteses para seus resultados do tipo:

  • Se tivesse falado outra coisa
  • Deveria ter ficado mais calmo
  • Poderia ter comentado sobre tal situação

E assim por diante, ou então começam a fazer promessas mirabolantes numa tentativa de entender o que aconteceu. Mas se frustram, pois, não acham uma resposta convincente para seu insucesso.  Acarretando em mais raiva ou negação, passando para a próxima fase que é a depressão.

 

Nesta fase não estamos nos referindo a doença, e sim na fase de tristeza. A fase da Depressão, corresponde a fase de desanimo, onde muitos candidatos pensam em desistir dos próximos concurso, e começam a fazer comentários depreciativos sobre seu desempenho ou futuro. Só que muitos não entendem que toda tristeza é passageira. É uma vez passada essa dor da REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO passamos para a última é melhor fase que é a aceitação.

 

Nesta fase, a Aceitação, percebemos que tudo que aconteceu tinha que acontecer, e que podemos perceber onde erramos e concertar esses pontos, essa fase corresponde a da resiliência psicológica, a que percebemos que podemos procura ajuda para nós melhorarmos.

 

Veja o que o edital da PM versa sobre o perfil psicológico de Soldado APTO

 

Essa fase costuma ser a do aprendizado, onde fortalecemos nossos pontos fracos e enaltecemos nossos pontos fortes. E percebendo que nunca mediremos forças ate conseguir nossos objetivos, que é sermos policiais militares.

 

Nessa fase que entra o Curso Palestra Gratuita, auxiliando milhares de candidatos a superarem a REPROVAÇÃO NO PSICOLÓGICO, para se tornarem aptos no psicológico da PM.

 

 

PERFIL PSICOLÓGICO DO SOLDADO PM DE 2ª CLASSE

  • Flexibilidade moderada – ausência de rigidez na conduta, no limite em que não comprometa sua conduta no bom desempenho da função;
  • Disposição para o trabalho– capacidade para suportar longa exposição a agentes estressores, sem permitir que estes causem danos físicos ou mentais, sendo capaz de manter um bom nível de energia interna da qual o indivíduo dispõe para interagir com o meio;
  • Capacidade de liderança – potencial para agregar as forças da comunidade, valendo-se de criatividade e proatividade, sem abdicar da autocrítica quem mantém o equilíbrio das ações;
  • Relacionamento interpessoal adequado – adequado nível nas relações humanas, estejam em conflito ou não, que permita aperceber-se do comportamento dos outros do mesmo modo em que consegue comunicar-se apropriadamente;
  • Inteligência – grau de inteligência geral (fator G) dentro de faixa mediana padronizada para a análise, aliado à receptividade para incorporar novos conhecimentos reestruturar conceitos já estabelecidos, com potencial de memorização, a fim de dirigir adequadamente seu comportamento;
  • Fluência verbal– facilidade para manipular os termos linguísticos na expressão do pensamento, através da verbalização clara e eficiente, expressando-se com desembaraço, sendo eficaz na comunicação;
  • Resiliência – potencial para superar frustrações e reveses, valendo-se da aprendizagem das vivências para desenvolver melhor suas atividades, tornando-as mais produtivas.

 

 

CONTRAPERFIL PSICOLÓGICO DO SOLDADO PM DE 2ª CLASSE

 

  • Descontrole emocional– utilização do potencial emocional sobrepondo-se ao racional, comprometendo o comportamento, seja por impulsividade, ansiedade ou agressividade descontrolada;
  • Sinais Fóbicos– presença de sinais de medo patológico ou irracional, com dificuldade para manter o autocontrole;
  • Falta de domínio psicomotor– ausência de habilidade cinestésica, por meio da qual o corpo se movimenta com eficiência, atendendo com presteza as solicitações psíquicas e ou emocionais.

Últimas do Blog

Categorias do Blog

Nossos Cursos

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias:

Voltar página anterior
Fechar Menu