PSICOLÓGICO PM – VULNERABILIDADE, AUTOCONHECIMENTO E O SOLDADO PM

Há muito a ser considerado quando falamos sobre a vulnerabilidade. Mas, antes de entrarmos neste assunto, vamos refletir sobre a importância de entendermos o conceito de desenvolvimento pessoal, visando o concurso público da Polícia Militar e a tão temida fase do Psicotécnico PM. O desenvolvimento pessoal é dinâmico. Significa, portanto, que está em constante movimento e alterações. O que você, candidato ao concurso público de Soldado PM ou Oficial Barro Branco é hoje, não será no dia de amanhã e no futuro que está por vir. Pois estamos em constante transformação.

Antes de darmos continuidade em nossa conversa sobre vulnerabilidade, vamos dar uma olhadinha no gráfico APTOS e NÃO-APTOS de um dos últimos exames do Psicotécnico PM.

perfil-psicologico-pm-edital-concurso-pm-psicologico-pm-psicotecnico-pm-2019

Mesmo problema, situações diferentes

O desenvolvimento pessoal, também, é algo singular: varia de indivíduo a indivíduo. Por exemplo, dentre dois candidatos a PM, um deles pode se considerar tímido ao falar em público. Enquanto o outro candidato se vê tímido, mas somente ao ter de expressar sua opinião a seu chefe. Já quanto a falar em público, a timidez não o atrapalha.

Aqui há um exemplo claro de dois candidatos que apresentam timidez, mas em situações diferentes! Aí é que está a singularidade: cada indivíduo inicia seu progresso de um determinado ponto. E têm suas próprias resistências que necessitam ser desconstruídas e desenvolvidas, para que o objetivo de iniciar a carreira militar seja possível.

Diante a explicação de desenvolvimento pessoal, podemos adentrar no assunto da vulnerabilidade e a relevância de acessá-la antes de passar pela fase do Psicotécnico PM. Primeiramente, o que significa vulnerabilidade? Podemos chamar de vulnerabilidade de “estado de fraqueza”. Um estado onde o indivíduo se vê como fraco, derrotado, até mesmo triste.

O “ser vulnerável” implica sentir-se fraco e vulnerável às pessoas e ao ambiente. São momentos delicados, onde o sentimento de exposição ao outro é presente. Pense em dias nos quais você se viu na necessidade de segurar o choro e não conversar com pessoas que tanto gosta, por temer chateá-los com suas emoções e o ambiente de trabalho e suas tarefas tornam-se algo incômodo. O estado de vulnerabilidade gera sentimentos e emoções, que decorrem para pensamentos de todos os tipos.

Criando estratégias para lidar com a vulnerabilidade

São eventos que cercam nossa relação interpessoal. Item esse tão relevante para a fase do Psicotécnico PM. Neste momento, você deve estar pensando: “Ok, como ter acesso ao meu estado de fraqueza pode me ajudar no psicológico?”  Continue lendo, vamos achar a resposta juntos, tal resposta que o ajudará a desenvolver-se para o concurso da PM.

Uma vez tendo acesso à vulnerabilidade, ou seja, ao seu “ser vulnerável”, este ser que se vê numa situação delicada perante o outro e o ambiente, se torna possível pensar e agir sob a vulnerabilidade. Tornando possível o desenvolvimento pessoal. Se o indivíduo consegue estabelecer contato com sua vulnerabilidade, ele passa a conseguir falar sobre seus próprios sentimentos. E também a respeito de situações que geram tais sentimentos. Para esclarecer, voltemos ao exemplo de dois candidatos ao concurso da PM utilizado acima.

Se o candidato que se encontra tímido ao falar em público entra em contato com esse “ser vulnerável”, ou seja, passa a ter acesso à vulnerabilidade, pensará que pode gaguejar, tremer, transpirar dentre outros sintomas, ao falar em público. Mas, ao saber que essas possibilidades podem acontecer, ele poderá se precaver. Logo, irá criar estratégias de como lidar com a própria vulnerabilidade.

Autoconhecimento é a chave do controle emocional

Tente pensar como se fosse o candidato para a Fase do Psicotécnico PM acima. O que você poderia fazer para lidar com esse “ser vulnerável” ao falar em público?  Vamos supor que o indivíduo poderia pensar: “Toda vez antes de falar em público, vou praticar minha respiração diafragmática e dicção” ou “Antes de falar em público, preciso praticar minha fala em frente ao espelho” dentre demais estratégias.

É o autoconhecimento sobre a vulnerabilidade – aquilo que o impacta, desperta emoções/sentimentos – que o ajuda em busca do controle emocional esperado pela Fase do Psicotécnico PM. Pois, uma vez sabendo como seu corpo reage ao ambiente, mais fácil lidar e retomar o equilíbrio necessário. Fora a noção de como tarefas do ambiente (ex: falar em público) podem incomodar, é necessário saber nomear aquilo que sente.

O acesso à vulnerabilidade nos permite discutir, refletir, nomear e elaborar estratégias para lidar com nossas principais inseguranças, temores e medos. Ao saber nomear aquilo que sente, o candidato ao concurso público da PM terá maior desenvoltura e meios para conseguir desenvolver-se pessoalmente. Pessoas que conseguem entrar em contato consigo mesmas tanto em momentos de felicidade como em momentos de vulnerabilidade podem aprimorar a sua função e buscar relações cada vez mais sinceras com aqueles ao redor.

Está com dificuldades no seu Desenvolvimento Pessoal? Dá uma conferida no nosso curso de Desenvolvimento Pessoal e Profissional, contamos com profissionais aptos em te dar suporte em sua caminhada, através de aulas presenciais ou on-line.

Abaixo você encontra as características de perfil buscada pela Polícia Militar, divulgada nos editais dos Concursos de Soldado PM.

PERFIL PSICOLÓGICO DO SOLDADO PM DE 2ª CLASSE

  • Flexibilidade moderada – ausência de rigidez na conduta, no limite em que não comprometa sua conduta no bom desempenho da função;
  • Disposição para o trabalho– capacidade para suportar longa exposição a agentes estressores, sem permitir que estes causem danos físicos ou mentais, sendo capaz de manter um bom nível de energia interna da qual o indivíduo dispõe para interagir com o meio;
  • Capacidade de liderança – potencial para agregar as forças da comunidade, valendo-se de criatividade e proatividade, sem abdicar da autocrítica quem mantém o equilíbrio das ações;
  • Relacionamento interpessoal adequado – adequado nível nas relações humanas, estejam em conflito ou não, que permita aperceber-se do comportamento dos outros do mesmo modo em que consegue comunicar-se apropriadamente;
  • Inteligência – grau de inteligência geral (fator G) dentro de faixa mediana padronizada para a análise, aliado à receptividade para incorporar novos conhecimentos e reestruturar conceitos já estabelecidos, com potencial de memorização, a fim de dirigir adequadamente seu comportamento;
  • Fluência verbal– facilidade para manipular os termos linguísticos na expressão do pensamento, através da verbalização clara e eficiente, expressando-se com desembaraço, sendo eficaz na comunicação;
  • Resiliência – potencial para superar frustrações e reveses, valendo-se da aprendizagem das vivências para desenvolver melhor suas atividades, tornando-as mais produtivas.

CONTRA PERFIL PSICOLÓGICO DO SOLDADO PM DE 2ª CLASSE

  • Descontrole emocional– utilização do potencial emocional sobrepondo-se ao racional, comprometendo o comportamento, seja por impulsividade, ansiedade ou agressividade descontrolada;
  • Sinais Fóbicos– presença de sinais de medo patológico ou irracional, com dificuldade para manter o autocontrole;
  • Falta de domínio psicomotor– ausência de habilidade cinestésica, por meio da qual o corpo se movimenta com eficiência, atendendo com presteza as solicitações psíquicas e ou emocionais.

Comentários

Artigos Recentes

Loading...